sábado, 31 de outubro de 2009

A Tecnologia para o Desenvolvimento Humano : Radioatividade

A Tecnologia para o Desenvolvimento Humano



Olá, Professores e Alunos,

1. Objetivo: Nosso trabalho foi desenvolvido com o objetivo de nos informar mais,
sobre " A Tecnologia para o desenvolvimento Humano ".

2. Justificativa: Sermos informados através de pesquisas (visuais , audio visuais e escritas) , para que possamos nos informar e estar mais atualizados, quando se fala de tecnologia.

3. Metodologia : Vamos mostrar nosso trabalho através de um Blog Informativo e uma apresentação de slides. Nos slides há dois videos abordando um resumo de todo nosso tema.

4. Recursos : No blog há assuntos principais abordando a Radioatividade nos dias de hoje. Também há algumas fotos e vídeos, que servem para mostrar o que foi e o que ainda é a radioatividade artificial e a natural. Também ha algumas curioasidades.

5. Conclusão : Concluimos que o assunto foi muito bom, pode-se dizer até que foi " Massa ! ", aprendemos muitas coisas sobre Radioatividade, da teoria à prática. A Radioatividade possui o seu lado , bom e o ruim. Temos como exemplo a artificial que é trabalhada em usinas nucleares, para produção de energia, por um lado ela produz uma grande quantidade de energia radioativa que é distribuida para toda de região ou até mesmo país, mas essa vantagem possui o seu lado ruim. Se houver um acidente nessa usina, prejucará toda a area e região, não só por dias, mas por gerações. E o lixo radioativo...? O que faremos com ele? Daqui a alguns anos poderá haver uma boa parte da população prejudicada pela Radiação Artificial.

6. Referências Bibliograficas :

- O que é radioatividade?

-Acidente em Chernobyl

-Acidente em Goiânia

-A Descoberta da Radiação



Video de Introdução: Radioatividade? Que Bicho é esse?




Essess vídeos são um resumo de todo nosso tema.
Foram encontrados na Internet, possuem algumas cenas fortes,
mais são a realidade.

O lado da Desvantagem

video

O lado da Vantagem


video

Radioatividade...? Um Monstro?


-O que é Radioatividade?-


Toda a matéria é composta por átomos. Os átomos são constituídos por um núcleo (composto por próton, com carga positiva, e neutrons, sem carga) ao redor do qual giram os elétrons, com cargas negativas.


A radioatividade é um processo natural decorrente da liberação de energia de um núcleo atômico cuja relação
entre o número de prótons e de neutrons resulta em uma configuração instável; o processo modifica a relação próton/neutrons do núcleo e leva a configurações estáveis (não radioativas). O ambiente no qual vivemos é naturalmente radioativo. Por exemplo, respiramos Carbono 14, que é radioativo, e é formado a partir da interação das radiações cósmicas com a atmosfera; comemos bananas que apresentam em sua composição Potássio 40, com núcleo instável, emissor de raios gama, entre outros. Vivendo em um ambiente radioativo, os seres humanos, e todos os demais seres vivos, são naturalmente radioativos. O problema está na quantidade de radiação à qual estes seres venham a ser expostos: acima de certo nível a exposição às radiações provoca, no corpo humano, e nos demais seres vivos, algumas reações adversas:

* a geração de radicais livres, provocando oxidação nas moléculas biológicas (DNA, etc.);
* alterações no material genético, impedindo as células de se reproduzirem;
* alterações na material genético, levando à transformação celular que, eventualmente, e em função de uma série de fatores que incluem características próprias e a predisposição do indivíduo irradiado, pode degenerar em câncer.

Mas níveis baixos de radiação são absorvidos sem maiores conseqüências pelas células do corpo humano, que possuem mecanismos de defesa e de recuperação. Segundo as cientistas, os estudos disponíveis, relativos à questão da exposição à baixas doses de radiação, não são conclusivos quanto à indução, ou não, de cânceres em seres humanos. Na falta de embasamento científico assume-se que, no que diz respeito a exposições à radiação resultantes de atividade humana, deve imperar a prudência: as doses devem ser as menores possíveis, dentro do razoável, considerados os fatores econômicos e sociais envolvidos.

Informe suplementar à palestra proferida pela Dra. Novailhetas e pela Engª Lauria
http://www.brooklin.com.br/reportagens/palestraradioatividade2000abr25.htm
Abril 25, 2000

Por: Levi Murici

Acidentes Radioativos

-Acidente Chernobyl-

O pior acidente nuclear se deu no dia 26 de abril de 1986, na Usina Nuclear Chernobil, na Ucrânia. O acidente foi escondido pelo governo sovietico da comunidade mundial e só descoberto quando os altos niveis de radiação foram detectados em outros países.

O acidente produziu uma nuvem radioativa que atingiu toda a URSS, Europa Oriental, Reino Unido e Escandinávia. Grandes áreas foram contaminadas principalmente na Ucrânia e em Bielorrússia (Belarus), o que levou no reassentamento e na evacuação de extimadamente 200 mil pessoas. Bielorrússia foi a mais atingida, pois cerca de 60% de radioatividade caiu em suas terras.

É extremamente dificil informar a quantidade exata de pessoas que morreram devido ao acidente, a ONU divulgou um relatorio em 2005 que atribuiu 56 mortes e uma estimativa de cerca de 4000 pessoas que possivelmente morreriam no futuro por doenças relacionadas aos eventos de Chernobil.

Dentre as causas do acidente destaca-se a pouca instrução aos operadores, defeitos em reatores, a rejeição a manifestações decorrente à falta de informação, a falta de comunicação correta entre os escritórios de segurança e os operadores além do desligamento de aparelhos de segurança dos reatores, o que aos olhos da segurança era expressamente proibido (salvo em mau funcionamento).

Após várias negociações internacionais com o governo da Ucrânia, conseguiram desativar a usina que tanto mal provocara aos ucranianos que pelas redondezas viviam.


video

Esse vídeo é muito bom porque, mostra algumas imagens sobre o acidente.


Por : Levi Murici


-O césio-137 e o Acidente Nuclear de Goiânia-


Antes de setembro de 1987, a idéia de um acidente nuclear em território brasileiro era uma possibilidade remota envolvendo, no máximo, especulações pessimistas sobre as usinas de Angras dos Reis, no Rio de Janeiro ou, talvez, o IPEN, Instituto de Pesquisas de Energia Nuclear da Universidade de São Paulo, onde existe um pequeno reator atômico destinado a pesquisas.

A surpresa e tragédia vieram de lugar e modo completamente inesperados. Quando explodiram as manchetes relatando casos de morte por envenenamento radiativo, dezenas de casos confirmados de contaminação e outros milhares sob suspeita, todas as atenções se voltaram para Goiânia.

A discreta capital de Goiás, no centro do Brasil, colocava em evidência o protagonista daquele episódio, uma cápsula violada de césio 137, que, negligentemente abandonada, indevidamente removida, imprudentemente aberta e inadvertidamente manipulada, espalhou o terror entre uma população que nem desconfiava da existência de tal risco tão próximo de seus lares.

No abalo causado pelas quatro mortes e dezenas de vítimas graves, o césio 137 passou a ser visto como um perigoso assassino, por conta de uma desastrosa sucessão de erros que levou à remoção daquele estranho material de belo brilho azulado da segurança de seu invólucro de chumbo, onde foi enclausurado para cumprir a missão de ajudar a salvar vidas, não tirá-las.


Por: Levi Murici


sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Descoberta da Radioatividade

Descoberta da radiação


A radioatividade foi descoberta no século XIX, até esse momento predominava a idéia de que os átomos eram as menores partículas de qualquer matéria. Com a descoberta da radiação, os cientistas descobriram que existiam partículas ainda menores, tais como: próton, nêutron, elétron e que os átomos não são todos iguais, por exemplo:

- O Hidrogênio possui apenas um próton e um elétron, já o átomo de urânio-235, conta com 95 prótons e 143 nêutrons.

No ano de 1896, um físico francês Antoine-Henri Becquerel (1852-1908) observou que um sal de urânio possuía a capacidade de sensibilizar um filme fotográfico, recoberto por uma fina lâmina de metal.
Já em 1897, a cientista polonesa Marie Sklodowska Curie (1867-1934) provou que a intensidade da radiação é sempre proporcional a quantidade do urânio empregado na amostra, concluindo que a radioatividade era um fenômeno atômico.

Alguns elementos como urânio-235, césio-137, cobalto-60, tório-232, são fisicamente instáveis ou radiativos
possuindo uma constante e lenta desintegração, liberando energia através de ondas eletromagnéticas (raio gama) ou partículas subatômicas em alta velocidade.

A radioatividade é bastante utilizada hoje em várias áreas diferentes. Na medicina, ela é utilizada no tratamento de tumores cancerosos, na indústria, a radioatividade é utilizada para obter energia nuclear e na ciência tem a finalidade de promover o estudo da organização atômica e molecular de outros elementos.

Existem vários tipos de radiação; eis alguns exemplos:

- partículas alfa são facilmente barradas por uma folha de papel, por exemplo, apesar de ser bastante energético;
- partículas beta são mais penetrantes e menos energéticos que as partículas alfa;
- partículas gama são mais perigosas, quando emitidas por muito tempo podem causar malformações nas células;
- nêutrons;
- raio X.

As partículas alfa, ou raios alfa, possuem uma massa e carga elétrica relativamente maior que as demais, entretanto, são facilmente barradas por uma folha de papel, alumínio, mas em geral não conseguem ultrapassar as células mortas da pele.
Já as partículas gama, ou raios gama, e o raio X não são tão energéticos, mas são extremamente penetrantes, podendo atravessar o corpo humano, são detidos somente por uma parede grossa de concreto ou por algum tipo de metal.

Por: Levi Murici ( Admin )

Consequências da Radioatividade

-Efeitos da Radiação-

Quando atingido pela radiação é impossível perceber imediatamente já que, diferente de uma bala de revólver, por exemplo, cujo efeito é constatado na hora, a radiação não provoca nenhuma dor ou lesão visível.
Ela ataca as células do corpo individualmente, pode afetar os átomos que estão presentes nas células provocando alterações em sua estrutura.

Os efeitos da radiação podem ser em longo prazo, curto prazo ou somente apresentar problemas aos seus descendentes (filhos, netos), pois uma pessoa que recebeu a radiação sofre alguma alteração genética produzida pela radioatividade.



-Efeitos biológicos da Radiação-


Em 1899, dois médicos suecos conseguiram curar um tumor de pele na ponta do nariz de um paciente, e em 1903 um médico americano obteve a diminuição do baço de um paciente com leucemia.


O uso do raio-X na terapia estava, entretanto, produzindo resultados desagradáveis. Eritema de pele e a seguir ulcerações se desenvolveram nas mãos dos médicos e em alguns casos, câncer dos ossos, como resultado das exposições durante o tratamento dos pacientes.

Desde então não só os benefícios trazidos pela radiação mas também seus efeitos danosos têm interessado os cientistas de todo o mundo.


Os estudos dos mecanismos básicos da radiobiologia permitem análises microscópicas do que ocorrem com a passagem da radiação e liberação de energia em volumes muito pequenos como em células ou parte de células.


A energia liberada pode produzir ionização e excitação dos átomos e quebra das moléculas e, como consequência, formação de íons e radicais livres altamente reativos. Estes, por sua vez, podem atacar moléculas de grande importância como a molécula de DNA do núcleo da célula, causando-lhe danos.


A destruição de uma molécula de DNA resulta numa célula capaz de continuar vivendo, mas incapaz de se dividir.

Assim, a célula acaba morrendo e não sendo renovada. Se isso ocorrer em um número muito grande de células, vai haver um mau funcionamento de tecido constituído por essas células e, por fim, a sua morte.



-Lixo Radioativo-


O lixo nuclear ou radioativo é formado por resíduos com elementos químicos radioativos que não têm ou deixaram de ter utilidade.

É usualmente o produto resultante de um processo de fissão nuclear, do material utilizado como combustível nos reatores, do uso armas nucleares ou ainda de laboratórios médicos ou de pesquisas.

A destinação do lixo radiativo é um dos problemas mais sérios resultantes do uso da energia nuclear, podendo ainda ser oriundo de outros usos, tais como o lixo hospitalar.

A radioatividade deste material diminui com o tempo. Todo radioisótopo tem uma meia-vida, ou seja, o tempo necessário para perder metade (½) de sua radioatividade. Eventualmente todo lixo radioativo decai para um elemento não-radioativo. Por exemplo: passados 40 anos, a maioria dos resíduos de combustível nuclear perde 99,9% de radiação.



Por: Levi Murici ( Admin )

terça-feira, 27 de outubro de 2009

Curiosidades!!!

A Saborosa
-Castanha do Pará!-


A castanha-do-pará é uma das mais saborosas e nutritivas castanhas e também uma de minhas favoritas.Foi com grande surpresa que encontrei um artigo dizendo que a castanha -do-pará é o alimento natural mais radioativo do mundo, concentrando, num cálculo estimado, 1000 vezes mais radiação que o segundo colocado.

A castanheira (Bertholletia excelsa) possui uma extensa e complexa rede de raízes que coleta uma grande quantidade de rádio do solo, armazenando essa radiação na parte carnosa da castanha. De acordo com as pesquisas, a extensão das raízes seria o fator responsável pela quantidade incomum de radiação e não a alta concentração do elemento rádio no solo.

Apesar da radioatividade encontrada na castanha-do-pará ser a maior entre todos os alimentos, não existe nenhuma recomendação especial ou restrição ao seu consumo, sendo até muito recomendada por seu alto valor nutricional.Mesmo estando no topo da lista, a castanha-do-pará não acumula ou irradia mais do que os níveis aos quais estamos expostos no nosso dia-a-dia.


Por: Rodrigo Dórea


-Celulares Menos Radioativos-


O site do Environmental Working Group, criou um ranking que mede a radioatividade dos celulares. Confira o Top 10 dos menos radioativos.

1º. Audiovox XV6600 - 0.12 W/kg de radiação
2º. Motorola V.101 - 0.14 W/kg
3º. Motorola V.100 - 0.14 W/kg
4º. Sony Ericsson T292a - 0.15 W/kg
5º. Motorola MOTOKRZR K3 - 0.17 W/kg
6º. Samsung SGH-s105 - 0.18 W/kg
7º. Motorola MPx200 - 0.20 W/kg
8º. Nokia 9300i - 0.21 W/kg
9º. Nokia N90 - 0.22 W/kg
10º. Nokia 7710 - 0.22 W/kg


Por : Rodrigo Dórea


-Bombas Atômicas-

Em 6 de agosto de 1945 caiu a primeira bomba atômica em Hiroshima e três dias depois a segunda bomba atômica em Nagasaki. Foram quase 200 mil mortos nestes que foram os piores e mais cruéis ataques de todos os tempos. Neste texto não será discutido as razões da utilização das bombas atômicas e nem como a humanidade utiliza o conhecimento científico, em outro momento é escrito sobre a insatisfação de muitos, como o conhecimento científico é tratado.


Uma conseqüência importante da relatividade é a equivalência entre massa e energia prevista por Einstein. Esta equivalência é demonstrada pela mais conhecida de todas as equações da Física:


E=m.c2


Em 1939, em plena segunda guerra mundial, os cientistas sabiam que, se um átomo pudesse ser dividido em dois, onde a soma das massas destes fosse menor do que a do primeiro, essa diferença de massa corresponderia a uma quantidade de energia imensa.


Temendo que a Alemanha pudesse adquirir tecnologia suficiente para a fabricação de um armamento que utilizasse tal conhecimento científico, um grupo de cientistas persuadiu Einstein a escrever uma carta ao presidente dos Estados Unidos alertando-o sobre o perigo. Após esta carta os Estados Unidos iniciaram o Projeto Manhattan com o objetivo de construir a bomba atômica.


Em 1942 a equipe do Projeto Manhattan já conseguia produzir uma reação atômica em cadeia e foram mais 3 anos de pesquisas e testes até a bomba atômica ficar pronta.


A bomba atômica é uma arma cuja energia liberada tem o poder de destruir uma cidade. Neste tipo de bomba osde menor massa. Nesse processo de fissão nuclear libera outros nêutrons que irão bombardear outros núcleos desencadeando uma reação em cadeia. A energia liberada neste processo é imensamente grande.



Por: Levi Murici




-Radiação Solar-



Radiação solar é a designação dada à energia radiante emitida pelo Sol em particular aquela que é transmitida sob a forma de radiação eletromagnética. Cerca de metade desta energia é emitida como luz vísivel na parte de frequência mais alta do espectro electricomagnético e o restante na do infravermelho próximo e como radiação ultravioleta.

A radiação solar fornece anualmente para a atmosfera terrestre 1,5 x 1018 kWh de energia, a qual, para além de suportar a vasta maioria das cadeias tróficas, sendo assim o verdadeiro sustentáculo da vida na terra, é a principal responsável pela dinâmica da atmosfera terrestre e pelas características climáticas do planeta.


Mas não faça do sol um inimigo. Aprenda como aproveitar o verão sem estragar a sua saúde. Com a redução da camada de ozônio, os raios ultravioletas irradiados pelo sol atingem a Terra com maior intensidade, agredindo a sua pele e podendo até causar câncer. Para evitar queimaduras e problemas futuros como cancer de pele, faça de alguns cuidados uma rotina.
  • Evite a exposição ao sol das 10 às 16h, quando o sol é mais intenso;
  • Utilize a proteção adequada nos outros horários: chapéus, guarda-sóis, óculos escuros e filtros solares com fator de proteção (FPS) 15 ou mais. Aplique 30 minutos antes da exposição ao sol e sempre que sair da água.

Mas não se esqueça: o protetor solar não lhe garante segurança total, evite

exageros e muito cuidado com as crianças. Lembre-se de reaplicar o protetor

solar em exposições solares prolongadas.

Qualquer sinal ou mancha na pele, procure o seu dermatologista.